Tokenização de ativos: por que é uma tendência de mercado?

Em uma evolução da digitalização de dados, os ativos digitais começam a democratizar investimentos. Diversas empresas já avaliam inserir a tecnologia dentro de seus ecossistemas
blockchain technology tokenização

O momento parece ser de descoberta, mas a tokenização já desponta como um mercado em ascensão não só no Brasil. Essa tecnologia permite a transformação de qualquer ativo real em digital. Os chamados tokens nada mais são do que registros em uma rede blockchain: imutáveis, seguros e transparentes. Com essa premissa da não violação da informação, o tema chama a atenção desde investidores iniciantes a instituições financeiras.

O potencial de crescimento dos ativos digitais foi tema de uma pesquisa realizada pelo Fórum Econômico Mundial, pela Deloitte e pela McKinsey, segundo a qual o mercado global de tokenização em blockchain deve atingir 24 trilhões de dólares em 2027. Empresas já estão pensando em como utilizá-los dentro de seus ecossistemas de inovação.

Há sinais de que essa transformação está acontecendo: adoção acelerada das criptomoedas, surgimentos de plataformas de NFTs, exchanges descentralizadas (DEX), entre tantos outros negócios novos que estão se apropriando das características da web 3.0 que tem como princípios descentralização, propriedade, participação e engajamento da comunidade.

Com isso, o mercado financeiro também caminha para uma direção de democratização do investimento em ativos que, até pouco tempo atrás, mostrava-se inacessível. Por exemplo, ter participação em uma empresa, um título de dívida, o direito sobre atletas, projetos imobiliários, obras de arte, dentre outros.

Leia mais: NFTs: como funciona o mercado de tokens não-fungíveis?

Como as empresas podem se beneficiar

Em um estudo publicado em janeiro, a MarketsandMarkets Research, apontou que o setor de tokenização atingiu valor de mercado de US$ 2,3 bilhões, em 2021. Até 2026, a expectativa é de que cresça 148%, atingindo US$ 5,6 bilhões em valor. Entre os motivos listados para esse crescimento estão justamente a popularização de pagamentos e transações sem contato e a maior busca por tokens entre consumidores e empresas.

Atualmente, o tipo de tokenização mais comum é justamente a de recebíveis. Ou seja, transforma-se um valor ou bem que tem a receber em tokens para gerar liquidez, e o investidor se beneficia de uma taxa de desconto do recebível futuro, que o dono do ativo irá dispor como lucro da operação.

A visibilidade das movimentações e do histórico por todos, com o devido acesso ao blockchain, promove a redução dos riscos, uma vez que é possível gerenciar e programar requisitos complexos de conformidade diretamente no token. Isso também facilita o acesso de pequenos investidores a ativos de alta performance, que até então estavam ao alcance somente de grandes empresas. A variedade de produtos alternativos, com custo inicial mais baixo e processo descomplicado, contribui para a democratização.

Exemplos de tokenização de ativos

Um token não fungível (NFT) está relacionado a um ativo que não pode ser substituído. É o que acontece com uma obra de arte ou com uma ilustração digital, por exemplo. Funciona como um tipo de certificado de autenticidade referente ao registro desse ativo. A marca brasileira Reserva vem criando novas formas de se relacionar via token, disponibilizando NFTs de artes do Pistol Bird, pássaro que representa a marca. Os tokens já esgotaram no mesmo dia e rendeu R$ 900 mil em vendas.

Aplicada ao agronegócio, é possível acompanhar a criação de tokens financeiros que estão atrelados ao preço de commodities agrícolas e permitem o investimento com mais facilidade. Um bom exemplo é a Agrotoken, na Argentina, que tokeniza estoque de soja armazenado em uma empresa parceira. Com isso, a tendência é que a negociação entre as partes seja simplificada, ao mesmo tempo em que estimula o segmento.

Outra vertical do mercado que está adotando blockchain são os games. A interação entre os jogadores e a possibilidade de criar uma economia baseada em tokens para representar a posse de objetos e de ativos dentro dos jogos mostra alternativas de mercado, indicando uma área em que veremos fortemente uso de blockchain e tokenização.

Leia mais: Por que as marcas estão tão interessadas no metaverso?

Mercado em expansão

Atualmente o Banco Central e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) possuem sandboxes regulatórios (ambiente de experimentação) com projetos que envolvem tokens, colocando o Brasil em destaque no segmento. Além disso, as instituições financeiras enxergam como nova forma de receita e diferencial em suas plataformas.

A tokenização de ativos já é um importante movimento em direção à descomplicação de investimentos que deve atender diversos públicos.

_Seja Parceiro

Quer bater um papo e conhecer os cases da agência de forma detalhada? Topa um café? Basta ligar no telefone abaixo ou nos enviar um email pelo formulário ao lado!

Telefone: +55 11 96899-2389

Desenvolvido por TRIWI MARKETING DIGITAL com 💜 e  ☕
Todos os Direitos Reservados à VCRP Brasil®